VERSOS, DIÁLOGOS RIMADOS, SONETO, TROVA E CORDEL NO ROMANCE DE MISHAL KATZ 'A VIOLETA DE VÊNUS'

Ebook baixado gratuitamente no Kindle para publi.

A estória narrada em forma de soneto, trova, cordel e entre outros gêneros poéticos, trará como personagem principal um jovem rapaz incapaz de integrar sua existência à vida (sim! Estamos diante de um suicida). Sofrendo constantemente entre o abismo que há entre o ser e o seu viver. Feio, azarado e sem talentos, julga-se açoitado pelo destino, injustiçado pela natureza que o passa a confrontar. 

Um belo dia qualquer, enquanto retornava para o apartamento que dividia com os pais, o jovem acaba conhecendo uma mulher (da maneira mais inusitada possível) que mora com seu noivo no apartamento ao lado. A moça pede para usar o banheiro dele e por lá deixa um cartão. 

Bom, o que ele não esperava era que ela pudesse lhe ensinar uma lição ou duas sobre a vida. 

UM ROMANCE ESCRITO EM VERSOS COM DIÁLOGOS RIMADOS

Quando recebi a proposta de leitura da obra não imaginei o que encontraria. Não sou muito adepta a ler sinopses, então fui no escuro. 

Não consigo fazer um comparativo, porque o enredo trás sua singularidade. Para quem não tem muita afinidade com poesias, rimas e ritmos terá uma certa dificuldade para conseguir entrar no enredo e absorver a trama.

Confesso que eu tive dificuldade para iniciar, para ser sugada pela estória e os versos que a compunham. Em alguns momentos foi preciso fazer uma pausa para a mente relaxar, porque apesar de ser o seu diferencial linguístico, ele também se torna cansativo. 

Houve alguns capítulos que só quis que acabasse logo, outros que tive uma certa dificuldade de entrar em definitivo na estória. Um dos capítulos que mais me chamaram a atenção foi a parte em que a moça que o rapaz conheceu decidiu contar a sua vida, falar um pouco de como foi sua existência até ali e como a mesma chegou aonde estava. E apesar de ter expressado e falado que sofreu violência física, psicológica e estupro, eu não consegui me sentir sensibilizada no início. 

 

O que me traz ao ponto que não me identifiquei com os personagens, o rapaz mostra um certo egoísmo quando destrata aqueles que querem seu bem, e isso em certo momento dos versos passou a me irritar. Só consegui me sensibilizar com a moça que aparece no romance quando já estávamos chegando ao final da estória. 

Há cenas de suicídio, violência física (doméstica), cenários paralelos que brincam com a cabeça do leitor, estupro, alguns gatilhos que para quem é mais sensível não é adequado.  

Katz brinca com a linguística: ora mais coloquial, ora mais sofisticada. Para ter uma clareza maior entre o cenário e personagens é necessário peneirar a estória depois de concluirmos a leitura.  

Porém eu gostei de ter saído da minha zona de conforto literária (há muito que não lia nada no gênero). Mishal Katz apresenta uma estória diferente que vale a pena ser lida e experienciada. 

Já leram algo do gênero? Leriam? 

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Acho que nunca li nada assim, mas parece ser bem interessante.
    Parece ser uma história meio pesada porque tem violência etc...
    Mas que bom que no geral gostou, é bom sair da zona de conforto vez ou outra.
    Ótima resenha! :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. É uma estória que tem um peso para aqueles que irão lê-la.
      :)

      Excluir
  2. Nunca li mas pelo que disse dos temas sensíveis já sei que não lerei por motivos de gatilho mas deve ser bem interessante mesmo.

    Lá no meu blog também tem uns posts bem legais de séries, beleza, decoração, apeplaria e outros!
    - https://thecorbal.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem interessante e diferente. Mesmo com os gatilhos.
      Apesar de lê-los eu não me senti atingida por eles. :)

      Excluir